Drogas. De quem é a culpa?

O que procuramos sempre dizer para os pais é que é necessário diferenciar culpa de responsabilidade. Pode ser perigoso e muitas vezes covarde ficar procurando culpados ao tomar ciência de que um familiar está com problemas de uso de drogas.

O que procuramos sempre dizer para os pais é que é necessário diferenciar culpa de responsabilidade. Pode ser perigoso e muitas vezes covarde ficar procurando culpados ao tomar ciência de que um familiar está com problemas de uso de drogas. Entendemos que nesse momento é fundamental não fugir do problema, pois encará-lo e enfrentá-lo é um ato de amor, de coragem e, acima de tudo, de responsabilidade da família. Pelo Instituto Volta Vida (IVV) já passaram, nesses quase vinte anos de existência, mais de seis mil pessoas. Um fator que chama atenção é que na maioria dos casos em que o indivíduo conseguiu entrar em recuperação, ele teve o apoio familiar. Esse apoio não deve ser apenas logístico, como custear o tratamento e organizar a bagunça deixada pelo ente querido nos ambientes que o mesmo frequentou nos dias que antecederam sua internação.

O papel fundamental da família é buscar fazer o seu próprio tratamento. Além de procurar especialistas em dependência química, a família deve tentar compreender melhor a doença frequentando grupos de ajuda mútua que abordem tal problemática, pois, estima-se, que a cada dependente químico que se encontra ainda sofrendo com a drogadicção ativa, existe, no mínimo, de cinco a dez pessoas (familiares, amigos, etc...) padecendo com o quadro de co-dependência, também considerada uma doença.

Portanto, é verdade que o tratamento da dependência de álcool e drogas é um dos maiores desafios que a nossa sociedade e as nossas autoridades terão pela frente ao longo do século XXI. Mas alertamos que o papel das famílias nesse enfrentamento pode ser um diferencial nas estatísticas de sucesso no combate e tratamento. Pois, para nós, do Instituto Volta Vida (IVV) que fazemos parte deste “exército do bem” na luta diária contra a dependência de álcool e drogas, não existe caso perdido. É assumindo a responsabilidade desde a busca de ajuda profissional especializada, no acompanhamento do tratamento e após o término do mesmo, que as famílias e a sociedade de uma maneira geral podem contribuir neste salvamento de vidas. Alcoolismo e drogas têm tratamento: Peça ajuda!!!

José Inácio Diógenes Parente Psicólogo, Mestre em dependência química e Diretor do Instituto Volta Vida (IVV).

Osmar Diógenes Parente Psicólogo, Farmacêutico, Especialista em dependência química e Diretor geral do Instituto Volta Vida (IVV).

* Artigo publicado no jornal O Povo.


Atendimento 24h